Reino Unido investiga Facebook e Google por monopólio na publicidade digital Redação ANJ

Reino Unido investiga Facebook e Google por monopólio na publicidade digital

A agência de defesa da concorrência do Reino Unido abriu uma investigação sobre o modo como o duopólio digital, formado por Google e Facebook, coleta e explora dados pessoais e usa seu poder para dominar o mercado de publicidade digital do Reino Unido, estimado em £ 13 bilhões. Juntas, as duas companhias deverão controlar, em 2020, mais de 70% dos anúncios online britânico, segundo as principais projeções.

A Autoridade de Competição e Mercados (CMA, na sigla em inglês) informou nesta quinta-feira (4) que examinará inclusive se disponibilização de dados dos usuários aos anunciantes em troca de pagamento gera bons resultados para os consumidores. A agência regulatória investigará ainda se o poder concentrado pelo duopólio digital prejudica a concorrência. Instagram e YouTube, redes sociais do Facebook e Google, respectivamente, também serão investigadas.

 “Muito sobre esses mercados em rápida mudança é um livro fechado para a maioria das pessoas. O trabalho irá abri-los para um maior escrutínio, e deve dar ao parlamento e ao público uma melhor compreensão do que as plataformas online globais estão fazendo”, disse o presidente da CMA, Andrew Tyrie. A agência, que se une a outros reguladores europeus que escrutinam o mercado publicitário digital, tem um ano para realizar a investigação, mas publicará resultados parciais dentro de seis meses.

A investigação segue as orientações do estudo comandado pela economista Frances Cairncross, elaborado a pedido do governo, sobre a sustentabilidade da indústria de notícias do Reino Unido, mas não examinará o efeito da ação do duopólio sobre a sustentabilidade do jornalismo no Reino Unido. "No entanto, prevemos que aspectos do nosso trabalho ajudarão a informar este debate, notadamente nossa avaliação da parcela de receitas de publicidade que vai para provedores de conteúdo em oposição a intermediários", informou a CMA. A News Media Association, que representa organizações de notícias nacionais, regionais e locais no Reino Unido, chamou o anúncio da CMA de um "desenvolvimento muito bem-vindo".

O escrutínio anunciado hoje observa ainda determinação feita pelo ministro das Finanças britânico, Philip Hammond. Em março deste ano, Hammond usou sua declaração anual da primavera para pedir que a CMA conduzisse uma revisão do mercado de publicidade digital seguindo uma recomendação feita em um relatório independente para o Tesouro britânico conduzido por Jason Furman, economista-chefe do ex-presidente norte-americano Barack Obama, ao lado de outros especialistas.

O relatório detalhou como a estrutura de competição do Reino Unido não está apta para os desafios econômicos impostos pelos mercados digitais, internamente e em relação ao exterior. De acordo com o documento, o mercado de publicidade digital "é dominado por dois players (Google e Facebook) e sofre com a falta de transparência".

Em julho de 2018, o órgão regulador de informação do Reino Unidos (Information Comissioner´s Office) multou o Facebook em £ 500 mil pela violação da privacidade de usuários no escândalo do vazamento de dados para a empresa de marketing digital britânica Cambridge Analytica.  

Leia mais em:

https://www.pressgazette.co.uk/uk-competition-watchdog-launches-study-into-ad-market-dominance-of-google-and-facebook/

https://www.theguardian.com/business/2019/jul/03/google-facebook-investigated-over-dominance-of-uk-digital-advertising-market