Menos de um terço dos editores das principais redações do mundo são mulheres

Menos de um terço dos editores das principais redações do mundo são mulheres

As mulheres ainda estão sub-representadas na liderança das redações nos dez principais mercados de notícias do mundo, segundo nova pesquisa do Instituto Reuters para Estudo do Jornalismo. Menos de um terço dos editores dos principais veículos de notícias de 200 grandes empresas on-line e off-line de dez países em quatro continente são mulheres.

“Embora exista uma correlação forte e positiva entre a porcentagem de mulheres que trabalham no jornalismo e a porcentagem de mulheres que ocupam cargos hierárquicos, há menos mulheres encarregadas das pessoas na profissão”, relata o estudo.  

Apenas 23% dos líderes editoriais das 200 grandes mídias consultadas pela pesquisa são mulheres, apesar de, em média, elas serem responsáveis por 40% dos jornalistas nos dez mercados consultados.

Os homens representam a maioria dos líderes de redação em todos os mercados cobertos pelo relatório, incluindo países como Brasil e Finlândia, onde há mais mulheres do que homens praticando jornalismo.

A porcentagem de mulheres líderes varia significativamente entre os mercados analisados. No Japão, não há uma única mulher no comando na grande mídia. Na África do Sul, 47% dos líderes editoriais são mulheres. Nas redações brasileiras, o índice de mulheres em postos de liderança é de 22%.

Em nove dos dez mercados, o número de mulheres que trabalham como jornalistas é consideravelmente maior do que o número de mulheres que lideram a mídia, diz a pesquisa. A pesquisa, ao contrário de outras semelhantes, encontrou mais mulheres que ocupam posições hierárquicas na mídia on-line do que na mídia de origem off-line.

Leia mais em:
https://www.niemanlab.org/2020/03/happy-international-womens-day-less-than-a-third-of-the-top-editors-at-major-news-outlets-around-the-world-are-women/

https://reutersinstitute.politics.ox.ac.uk/mujeres-y-liderazgo-en-los-medios-informativos-en-2020-evidencias-de-10-mercados