Jornais espanhóis decidem banir “comentários tóxicos” de suas publicações digitais

Jornais espanhóis decidem banir “comentários tóxicos” de suas publicações digitais

O contrapeso necessário que deve ser liderado pelas organizações de notícias no combate à desinformação e ao discurso de ódio não se limita à verificação de conteúdo nas redes sociais e aplicativos de mensagem, assinala o site espanhol Laboratorio de Periodismo, da Fundación Luca de Tena. Também é preciso garantir segurança e confiabilidade nas publicações jornalísticas digitais. Nessa tarefa, os jornais da Espanha decidiram enfrentar os abusos cometidos nos espaços para comentários de suas reportagens e artigos de opinião no meio on-line.

A primeira medida de vários veículos espanhóis foi terminar com os comentários abertos. No El País, por exemplo, que passou a usar paywall neste mês de maio, não é mais permitido que as notícias sejam comentadas por quem não é assinante. O próprio jornal indica que, com essa medida, pretende "construir uma comunidade crítica e construtiva, livre de toxicidades".

Mas o jornal que deu um passo adiante foi o el diario.es, relata o Laboratorio de Periodismo. Além de limitar os comentários aos assinantes, o diário não mais permitirá comentários anônimos ou apócrifos, a pedido de seus próprios leitores. Ignacio Escolar, diretor do jornal, enfatiza que, em breve, o veículo oferecerá um modelo de assinatura mais em conta, que possibilitará a participação de mais pessoas nos fóruns.

Leia mais em:

https://laboratoriodeperiodismo.org/medios-empiezan-a-poner-fin-al-descontrol-de-los-comentarios/