Assinaturas digitais voltam a elevar lucro do NYT, mas publicidade digital recua Reprodução

Assinaturas digitais voltam a elevar lucro do NYT, mas publicidade digital recua

O jornal norte-americano The New York Times voltou a registrar resultados positivos no terceiro trimestre de 2019, a exemplo do que aconteceu nos períodos anteriores. O diário superou as estimativas de lucro para os meses de julho, agosto e setembro, e novamente o destaque positivo foi o aumento no número de assinaturas digitais do jornal. No entanto, houve queda nas receitas com publicidade digital e impressa.

O The New York Times adicionou 273 mil assinantes on-line no terceiro trimestre, para um total de 4 milhões de leitores digitais. O número total de assinantes, incluindo impressos e on-line, subiu para atingiu 4,9 milhões.

A publicidade, porém, recuou 6,7% no total, com a receita de anúncios digitais caindo 5,4%. Na declaração de resultados, Mark Thompson, CEO da The New York Times Company, atribuiu o declínio à “turbulência contínua no espaço da publicidade digital”. O jornal informou que espera um quarto trimestre "bastante desafiador” no setor de anúncios on-line, que deve cair em torno de 15%.

Os jornais, segundo relato da Reuters, estão buscando atrair assinantes oferecendo grandes descontos para suas edições digitais, à medida que perdem receita com publicidade online para o Google, da Alphabet, e o Facebook. A assinatura do The New York Times custa apenas 2 dólares por semana. O jornal também tem reforçado suas ofertas digitais, adicionando uma série de recursos como podcasts e palavras cruzadas ao seu principal site.

No terceiro trimestre, excluindo itens, a empresa apresentou um lucro de 0,12 dólar por ação, acima das expectativas de 0,10 dólar. A receita total subiu para 428,5 milhões de dólares, ante 417,3 milhões de reais no ano anterior, ficando um pouco abaixo da estimativa média dos analistas de 429,1 milhões, segundo dados do Refinitiv do IBES. O lucro líquido atribuível aos acionistas caiu para 16,4 milhões de dólares, ou 0,10 dólar por ação, no trimestre, de cerca de 25 milhões de dólares, ou 0,15 dólar por ação, no ano anterior.

Leia mais em:

https://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKBN1XG21H-OBRIN

https://www.nytimes.com/2019/11/06/business/media/new-york-times-earnings.html