FMI defende mudanças tributárias para que empresas de tecnologia como Google e Facebook paguem mais impostos Reprodução

FMI defende mudanças tributárias para que empresas de tecnologia como Google e Facebook paguem mais impostos

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, juntou-se ao movimento promovido pela União Europeia (UE), que tem cobrado mais responsabilidade e a adequação competitiva das grandes empresas norte-americanas da web, como Google, Facebook, Amazon, que atuam em lógica de monopólio. Christine defendeu nesta terça-feira (26), em discurso em Washington (EUA), que é hora de os governos cobrarem das grandes companhias do Vale do Silício tributos que atualmente essas companhias estão isentas ou com os quais pouco contribuem. Multinacionais que transferem os lucros tributáveis para os paraísos fiscais, disse ela, citando estudo do FMI, custam aos países mais pobres centenas de bilhões de dólares em receitas perdidas. O relatório divulgado neste mês descobriu que 150 dos países mais pobres perderam cerca de US$ 200 bilhões em receita por ano, ou cerca de 1,3% do PIB.

Christine disse que os governos devem reagir às preocupações crescentes de que as empresas digitais pagam pouco imposto na maioria dos países onde operam, o que nega a arrecadação de fundos vitais para serviços públicos e assistência social. A mudança, segundo ela, viria como parte de uma revisão mais ampla das regras de impostos corporativos “ultrapassados”. Ela disse que é preciso repensar a situação depois que vários relatórios, incluindo o do FMI, detalharam como os sistemas tributários corporativos não refletem as mudanças na economia global. “Um ímpeto para repensar a tributação corporativa internacional deriva da ascensão de modelos de negócios altamente lucrativos, impulsionados pela tecnologia”, disse.

A diretora do FMI afirmou que a facilidade com que as multinacionais parecem poder evitar impostos, além do declínio de três décadas nas alíquotas do imposto corporativo, “enfraquece a fé” na justiça do sistema tributário geral. “A atual arquitetura internacional de impostos corporativos está fundamentalmente desatualizada”. 

Leia mais em:

https://www.lesechos.fr/monde/enjeux-internationaux/0600969716873-fiscalite-des-multinationales-lagarde-veut-changer-les-regles-du-jeu-2255361.php

https://www.cronista.com/economiapolitica/El-FMI-quiere-que-las-multinacionales-digitales-paguen-mas-impuestos-20190325-0056.html

https://www.theguardian.com/business/2019/mar/25/imf-big-tech-firms-tax-christine-lagarde?utm_term=RWRpdG9yaWFsX01lZGlhQnJpZWZpbmctMTkwMzI2&utm_source=esp&utm_medium=Email&utm_campaign=MediaBriefing&CMP=media_email