The Washington Post investe em vídeos noticiosos divertidos para dialogar com jovens no TikTok Reprodução

The Washington Post investe em vídeos noticiosos divertidos para dialogar com jovens no TikTok

Manter uma estratégia de diálogo com leitores por meio das redes sociais é um item recomendado por muitos analistas de mídia aos publishers, apesar da complexidade dos relacionamentos entre a indústria jornalística e as empresas de tecnologia. Pensando nisso e disposto a buscar mais audiência jovem, o jornal norte-americano The Washington Post colocou em prática um projeto com base no TikTok, aplicativo de vídeo móvel gratuito em que os usuários compartilham clipes curtos, geralmente com músicas. Disponível nos Estados Unidos há pouco mais de um ano, o app atraiu até aqui quase 27 milhões de usuários, em grande parte adolescentes.

Lançada há três meses, a conta do The Washington Post no TikTok já reúne mais de 78 mil fãs e mais de um milhão de reações positivas (expressadas pelo ícone em formato de um coração) aos seus vídeos, produzidos de forma a misturar humor em doses certas a notícias ou bastidores das reportagens do diário. Além disso, diz Dave Jorgenson, produtor de vídeo do The Washington Post, ao site Journalism, a abordagem do jornal recorre a uma narrativa de tom paternal, mas descolado.

Jorgenson alimenta a expectativa de que o TikTok acabe se tornando um novo fluxo de receita para o jornal, embora não haja uma estratégia clara de monetização no momento. "As pessoas neste aplicativo são as pessoas do futuro, quer você goste ou não. Do ponto de vista comercial, não sei por que você ignoraria isso. Além disso, é um ótimo espaço criativo e um espaço realmente colaborativo perfeito para um jornal", afirma.

O tempo de produção varia de dez minutos a duas horas, dependendo do vídeo. Jorgenson filma em seu iPhone e usa o Premier Pro para aperfeiçoar timings e adicionar texto, depois cria efeitos especiais no aplicativo antes de postar. A ideia é estabelecer uma rotina de cinco posts semanais, sendo três deles diretamente relacionados a notícias e outros dois mais divertidos, embora continuem apresentando o jornal de alguma forma, informa o Journalism.

Ao contrário de quaisquer outros aplicativos de mídia social, o TikTok é uma combinação peculiar do Snapchat, Vine e Spotify, em que clipes de vídeo personalizados de 15 segundos são compartilhados na plataforma. O conteúdo é uma variedade de tudo, desde sincronização labial e dança, até brincadeiras e desafios, com opções para efeitos especiais de camadas e filtros.

A maioria das pessoas que usam o aplicativo tem entre 16 e 24 anos e o tempo médio de engajamento diário de cada usuário é de 46 minutos. Entre os publishers que, a exemplo do The Washington Post, tem produzido conteúdos dedicados ao aplicativo está a NBC News, que adaptou para essa plataforma seu programa de notícias diárias "Stay Tuned", originalmente distribuído no Snapchat. A MTV fez uma parceria com a TikTok para transmitir ao vivo o European Music Awards de 2018 exclusivamente para o público da plataforma. A BBC encomendou uma série com a dupla de gêmeos influenciadores Max & Harvey, que tem 6 milhões de seguidores no aplicativo.

Leia mais em:

https://www.journalism.co.uk/news/tiktok-offers-news-organisations-a-new-way-to-reach-younger-audiences/s2/a743461/