Imprimir esta página
Pequeno desconto em impostos tem potencial para gerar fundo público de bilhões de dólares ao jornalismo dos EUA, diz estudo

Pequeno desconto em impostos tem potencial para gerar fundo público de bilhões de dólares ao jornalismo dos EUA, diz estudo

A dizimação do modelo de negócios que durante décadas sustentou o jornalismo profissional exige medidas urgentes para manter uma atividade que, mais do que nunca, é vital para a manutenção e o fortalecimento da democracia. Recente estudo elaborado por acadêmicos do Chicago Booth's Stigler Center faz algumas recomendações para recuperar a saúde da indústria jornalística dos Estados Unidos, com destaque para um financiamento público administrado pelo governo a partir de recursos obtidos por meio das doações e das escolhas dos norte-americanos em favor suas organizações preferidas.

Os fundos, enfatiza o estudo, devem ser atribuídos diretamente pelos cidadãos, independentemente de qualquer governo, de preferência com ênfase no jornalismo local, que tem encontrado muito mais dificuldade para sobreviver a um mercado que favorece o modelo de negócios de empresas como Google e Facebook. A pesquisa sugere que o fundo poderia arrecadar cerca de US$ 13 bilhões por ano no caso de o governo conceder desconto anual de US$ 50 em impostos para que os norte-americanos façam doações aos seus veículos jornalísticos favoritos.

O estudo assinala que, por esse de sistema de financiamento, somente as organizações de credibilidade reconhecida, definida por especialistas, estariam aptas a receber recursos. Além disso, nenhuma empresa isolada poderia receber mais de um por cento dos recursos.

A pesquisa propõe ainda uma nova abordagem para quantificar a pluralidade de notícias e um sistema regulatório que garanta a transparência necessária sobre fluxos de informação e algoritmos. Isso poderia ser feito, segundo o relatório, com base em nova estrutura regulatória e com o funcionamento de um órgão de supervisão, que estabeleceria padrões para a divulgação de fontes de informação e notícias, desenvolveria mecanismos de reputação baseados em fontes e deixariam transparentes as escolhas para apresentação das notícias.

A pesquisa enfatiza que as empresas digitais desfrutam de “um subsídio oculto de bilhões de dólares” por serem isentos de qualquer responsabilidade pela maior parte do que é publicado em suas plataformas. Para os estudiosos, as empresas que pretendem continuar a desfrutar desta proteção devem tomar medidas claras para priorizar o conteúdo de acordo com critérios diferentes dos atuais, que seguem a maximização da receita publicitária.

Leia mais em:

https://www.prateekr.com/blog/how-to-protect-journalism-in-the-digital-age