Receita da Axel Springer cresce com base em publicações, serviços e classificados digitais

A profunda mudança no modelo de negócios marcada pela prioridade no investimento digital (incluindo classificados online) sustenta o crescimento de quase 17% nos lucros operacionais da gigante de mídia alemã Axel Springer no primeiro trimestre de 2017 em relação ao ano passado. A informação é do próprio grupo, que afirma ter registrado um aumento de 6,7% em suas receitas no mesmo período, chegando a € 836 milhões. “O substancial crescimento nos investimentos feitos nos últimos anos tem contribuído para o bom início de 2017”, enfatizou Mattias Döpfner, diretor executivo da editora, relatou o Financial Times.

Apesar de manter publicações impressas – entre elas os dois principais diários da Alemanha, o Bild e o Die Welt –, a Axel Springer acumulou na última década uma lista de aquisições digitais que ultrapassa os 150 títulos. Essas aquisições inverteram a lógica de receitas do grupo. A companhia encerrou 2016 com mais de 72% do seu lucro operacional proveniente de atividades digitais, conforme a revista The Economist. Há pouco menos de 20 anos, em 2000, a Axel Springer praticamente não tinha receitas digitais.

Na carteira de publicações e serviços online do grupo alemão estão, por exemplo, o site mais visitado da Alemanha para candidatos a emprego, o StepStone, entre outras  plataformas populares de anúncios classificados. Outro grande negócio é o Idealo, uma popular página na web de comparação de preços com dicas para economia doméstica.

Entre as recentes aquisições da Axel Springer fora da Alemanha, destacam-se as compras do Business Insider, site de notícias exclusivamente digital, e do eMarketer, especializado em análise de mercado digital. Além disso, o grupo alemão uniu forças com a Samsung, da Coreia do Sul, para iniciar o Upday, serviço de notícias móvel que combina algoritmos com o trabalho de editores humanos para fornecer notícias personalizadas. A gigante alemã também firmou um joint venture com a principal aceleradora de startups do Vale do Silício, a Plug and Play.

Leia mais em:

http://www.economist.com/news/business/21721688-heavyweight-newspapers-price-comparison-websites-axel-springers-digital-transformation

https://www.ft.com/content/f1a42133-c2e5-31f7-ac50-1149bc57ef97