SIP e CPJ condenam censura e violência contra a imprensa na Venezuela Reprodução

SIP e CPJ condenam censura e violência contra a imprensa na Venezuela

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) condenaram a censura informativa e a violência impostas na Venezuela pelo governo de Nicolás Maduro. Há registro de ataques contra jornalistas e, também, de restrição a serviços de internet a meios com publicações digitais e o corte das transmissões de rádios e televisões em reação às mobilizações convocadas pela oposição desde a última terça-feira (30/04).

A presidente da entidade, Maria Elvira Domínguez, instou o governo a garantir que os venezuelanos tenham seu direito à informação respeitado. "Trata-se de um ataque contra a liberdade de imprensa e ao direito dos venezuelanos a se expressarem e se manifestarem livremente sem medo de sofrer represálias”, reforçou Roberto Rock, presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP

"Estamos alarmados com a cada vez mais descarada censura na Venezuela, que inclui a restrição reiterada e seletiva do acesso à web, atitude preferida dos regímenes autoritários", disse Natalie Southwick, coordenadora do Programa das Américas do Sul e Central do CPJ. "As autoridades venezuelanas devem garantir que todas as plataformas de internet e os meios informativos – digitais, rádios e televisões – estejam ao alcance dos cidadãos que buscam acesso à informação e compartilhá-la".

A Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel), informou a SIP, cortou os sinais da CNN Internacional e da BBC Mundo, bem como CNN em Espanhol e da NTN24, da Colômbia. Houve interrupção nas transmissões da Radio Caracas Radio (RCR), que teve ainda seus equipamentos confiscados. O portal digital argentino Infobae.co segue bloqueado. Os usuários dos provedores de web Cantv, Movistar e Digitel tiveram dificuldades para acessar o Twitter, Instagram, Facebook, Periscope, YouTube e Google.

O Instituto de Imprensa e Sociedade Venezuela (Ypys Venezuela) relatou o registro de 19 casos de violações à liberdade de expressão e direitos digitais no país no dia 30 de abril, além de onze detenções, roubos e agressões contra jornalistas provenientes de grupos armados e forças de segurança do Estado.

Leia mais em:

https://www.sipiapa.org/notas/1213191-la-sip-condena-violencia-y-censura-informativa-venezuela